• Palmas - TO, 19.10.2021

A publicação, que leva a assinatura de Paulo Albuquerque e Verônica Meneses, é de 2021, da editora Científica Digital

  • Opinião
  • 07/01/21 15:53
  • Divulgação

Texto aborda a difícil inserção da música tocantinense no mercado

Por Zacarias Martins

O artigo ‘A música tocantinense como valor simbólico e sua difícil inserção como bem de consumo’, de autoria do professor, jornalista e advogado Paulo Albuquerque acabou de ser publicado no livro ‘Temas da Diversidade: Experiências e Práticas da Pesquisa’, da Editora Científica Digital, de São Paulo. O artigo leva ainda a assinatura da professora, doutora, Verônica Dantas Meneses, da Universidade Federal do Tocantins.

Eles fazem o que consideram uma primeira análise da música regional tocantinense, a partir de duas observações: a construção da identidade tocantinense; e sua inserção no mercado de bens culturais. “Partimos do pressuposto de que a música local é um entre-lugar, que mobiliza novas e velhas identidades numa permanente construção do sujeito”, diz Verônica Meneses.

Os autores afirmam que a difusão da identidade tocantinense por meio da música está ligada à sua condição de bem de consumo. Eles desenvolvem o estudo a partir de teorias de pensadores que vão desde a indústria cultural até os mais modernos defensores do inexorável hibridismo. “Pode ser mesmo que não haja mais culturas puras, mas não podemos ignorar que está muito complicada a competição com os importados”, opina Paulo Albuquerque.

Paulo e Verônica defendem no artigo que a música tocantinense e seus produtores terão de aprender sobre o tempo e o lugar em que estão inseridos e reinventarem-se, sob pena de não conseguirem sequer apresentarem-se como possibilidade, tanto no presente quanto no futuro.

A artigo é capítulo 5 do Livro, e pode ser lido e interpretado na revista, no endereço https://www.editoracientifica.org/books/isbn/978-65-87196-60-2