• Palmas - TO, 23.10.2020

  • Agronegócio
  • 14/08/20 19:38
  • Divulgação

Produtor oferta ao mercado mais de 200 toneladas de manga com assistência técnica do Governo do Tocantins

Mesmo diante da pandemia do novo Conoravírus, a atividade agropecuária continua apresentando resultados positivos e as transformações de vida no campo. O produtor José Oliveira Fernandes é um desses exemplos. Beneficiário do projeto de Assistência Técnica e Extensão Rural para Médios Produtores (Ater Médio), executado pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), por meio de convênio firmado com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o produtor elevou sua produtividade, mantendo-se ativo no mercado.

Proprietário de um lote no Perímetro Irrigado Manoel Alves, localizado no município de Dianópolis, o produtor se dedica ao cultivo de manga da variedade Palmer, em uma área plantada de 8,5 hectares. José Oliveira relata que aumentou a produtividade em 11 toneladas por hectare desde que começou a receber o acompanhamento do Ruraltins, ofertando, ao público consumidor, frutas de mais qualidade.

"Para atingir esse índice, empregamos as técnicas de plantio recomendadas pelo Ruraltins que, no meu caso, indicou manejo da indução floral, controle de pragas e doenças, adubação de reposição, proteção dos frutos, planejamento da pré-colheita e comercialização, além de outras orientações. O pomar conta com 2,7 mil pés de manga e a expectativa é colher mais de 200 toneladas nesta safra. Estou muito satisfeito, pois é muito difícil produzir sem o acompanhamento dos técnicos”, frisa o produtor, acrescentando que a produção de manga tem como destino Belo Horizonte, Brasília e São Paulo.

Segundo o técnico em agropecuária, Antônio Carlos Bezerra, responsável pelo atendimento no Manoel Alves, a variedade da manga Palmer foi escolhida por ter boa aceitação no mercado e por ser a que melhor se adaptou às condições climáticas da região, além de ser muito saborosa. O técnico avalia ainda que a produção que era de 14 toneladas por hectare, passou para 25 toneladas por hectare devido a um conjunto de ações entre a extensão rural e o produtor. “Com o Ater Médio, nossa meta é sempre melhorar a produtividade dos produtores que assistimos. Durante as visitas, vamos conversando e observando a evolução, tudo alinhado com o produtor. Isso faz a diferença e os resultados chegam”, avalia.

Conforme o supervisor regional do Ruraltins, Lindomar Pereira, na região sudeste, são 51 produtores assistidos pelo Ater Médio, desses 31 são no Manoel Alves, em 54 unidades atendidas. Já nos municípios de Arraias, Paranã, Taguatinga, Dianópolis e Almas são 20 as propriedades de médios produtores atendidas.

“As atividades no Perímetro Irrigado Manoel Alves são ligadas fortemente à fruticultura de uma forma geral, sendo as principais: banana, manga Palmer, abacaxi, coco anão, limão Taiti, maracujá e pinha. Os atendimentos nos demais municípios são voltados para a fruticultura, a piscicultura e a bovinocultura de corte e mista”, explica.

Manoel Alves

Situado entre os municípios de Porto Alegre e Dianópolis, na região sudeste do Tocantins, o Perímetro Irrigado Manuel Alves é um dos maiores polos produtores de frutas do Estado. Ocupando uma área de 3.980 hectares, o projeto conta com 50 produtores em atividade das áreas da agricultura familiar e empresarial.

Ater para Médio

Desenvolvido pelo Governo do Tocantins, por meio do Ruraltins, em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Ater para Médio foi firmado em 2017, com a participação de 84 extensionistas visando atender 44 municípios. A iniciativa tem como objetivo contribuir com o desenvolvimento econômico e social dos médios produtores rurais do Tocantins.

Com recursos na ordem de R$ 861.639,32, o convênio segue até 30 de dezembro de 2020, contemplando três categorias, sendo pecuarista de corte e misto, de culturas anuais e de fruticultura.